JCTV

Arcebispo decreta postura de comunidade terapêuticas católicas

 

Dom Antônio Muniz Fernandez, Arcebispo Metropolitano de Maceió, baixou decreto regulamentando a participação das Comunidades Terapêuticas, no território Arquidiocesano, em projetos políticos e de poder. “As Comunidades que querem continuar exercendo o trabalho, tendo vínculo com a Igreja Católica e sem qualquer influência do poder político em suas administrações, deverão se adaptar o quanto antes, para não serem atingidas pelas normas da Igreja de Jesus Cristo presente na Arquidiocese de Maceió”, estabeleceu o Arcebispo.

 

 

O decreto assinado dia 26 de dezembro de 2016 leva em consideração a Lumen Gentium do Vaticano II e aspectos sociais apresentadas por João Paulo II na Encíclica Centesimus Annus. 

O Arcebispo decretou que "as comunidades terapêuticas, que fizeram uma opção político-partidária e de poder, tornando-se subsidiárias, estão proibidas de usar o nome “católica” e beneficiar-se dos ritos católicos; consequentemente, seja retirada a presença do Santíssimo Sacramento e não mais sejam celebradas Santas Missas nessas Comunidades Terapêuticas, em todo território da Arquidiocese de Maceió”.

 

Dom Antônio Muniz Fernandes foi ordenado Bispo em 1998 e desde 22 de novembro de 2006 é o Arcebispo metropolitano de Maceió. As questões ligadas a recuperação de dependência química têm mobilizado ações sociais na arquidiocese de Maceió.

 

No dia 17 de novembro de 2016, no seminário arquidiocesano de Maceió, o arcebispo prestigiou o encontro de capacitação em dependência química da rede cristã de acolhimento do estado de Alagoas, o Recriar. Dom Antônio Muniz sustentou o tripé das comunidades terapêuticas: “A paz consigo, com o irmão e com Deus”.

 

O encontro em Maceió teve uma palavra do padre Walfran Fonseca, que motivou a "serem multiplicadores do que foi semeado ao longo de um dia de formação frutuoso e rico".

 

Em 2016, dom Antônio Muniz, Arcebispo de Maceió acolheu caravana de deputados federais e dois senadores para explanação geral do trabalho das comunidades na arquidiocese. Atualmente, em Brasília, existe uma Frente Parlamentar em defesa das Comunidades Terapêuticas.

O Estado através da Secretaria da Promoção da Paz desenvolve o projeto Acolhe Alagoas. A Casa de Direitos, coordenada pela Secretaria de Estado de Prevenção à Violência, informou que encerra o ano com aumento significativo no número de atendimentos. Conforme relatório da pasta, foram registrados 5200 atendimentos em 2016, um crescimento de 171% em relação ao ano anterior, que apresentou 1919 pessoas atendidas.

A imprensa de Maceió revelou que em outubro, após o 1o. turno das eleições. Arcebispo de Maceió, Dom Antônio Muniz, convocou padres para avaliar a participação dos sacerdotes em campanhas políticas. Mesmo sem denúncia formal, a arquidiocese ressaltou o valor da disciplina interna da igreja.

 

 

 

 

 

 

 

Publicidade
Fechar